Realidade aumentada invade oficinas e promete facilitar a vida do mecânico

7 minutos para ler

A tecnologia é um dos assuntos mais comentados por profissionais do nosso segmento automotivo.  Perceba que, todos os anos, existem inúmeras novidades sendo lançadas ao mercado, seja na engenharia, na medicina ou na telefonia. Pensando nisso, elaboramos este texto para falar sobre uma tecnologia que tem ganhado espaço e utilidade dentro das oficinas mecânicas: a realidade aumentada.

Caso ainda não a conheça, entendemos que o nome pode soar estranho, mas é justamente isso que ela faz: enriquecer o mundo físico com informações digitais. Portanto, não perca a oportunidade de embarcar nessa modernização e descubra como essa ferramenta pode facilitar o seu cotidiano!

Veja também:

Carros autônomos: veja guia completo para entender tudo sobre o assunto!

> Como serão os carros do futuro e de que forma se preparar para fazer a manutenção deles?

> Sistemas de eletrificação: o que você, mecânico, precisa saber sobre?

A definição de realidade aumentada

O conceito de realidade aumentada é aplicado em qualquer tecnologia que combine as imagens captadas no mundo real com informações eletrônicas — que podem existir no formato de animações, textos, imagens e sons, sendo exibidas através de algum interface digital, como um tablet, smartphone ou óculos de realidade virtual ou aumentada. Você já viu um desses?

Esse último ponto é muito importante. No atual estágio da tecnologia, ainda precisamos utilizar equipamentos que projetem essas informações sobre a realidade. Apesar disso, o futuro sugere alguns avanços nas áreas dos hologramas, que poderão projetar qualquer informação eletrônica no meio em que convivemos, sem utilizar uma interface física para isso, como uma tela.

Atual e tecnicamente, a ponte entre o mundo real e digital é realizada da seguinte maneira:

  1. o dispositivo que opera a realidade aumentada conta com câmeras — smartphones, tablets ou óculos especiais;
  2. essas câmeras captam as imagens do seu ambiente, como o motor de um veículo;
  3. então, essas imagens são exibidas na tela do dispositivo;
  4. por meio do software de realidade aumentada, exibem-se informações sobre imagens capturadas pela câmera;
  5. essas informações interagem com as imagens em tempo real, adequando seu comportamento e contexto àquilo que se observa.

Além disso, também vale lembrar as tecnologias mais avançadas no segmento, como os óculos Microsoft HoloLens 2. Eles avançam no tema partindo para a realidade misturada, que não somente faz com que você veja o mundo digital sendo projetado em cima do real, mas também permite que se interaja com o mundo digital, “tocando” nas informações eletrônicas como se estivessem na sua frente.

As aplicações dessa tecnologia nas oficinas

Antes de conferir as aplicações, pare por um momento e reflita: como esse conceito poderia ajudar a sua profissão? Imagine quantas dúvidas você poderia resolver apenas apontando o celular ou, quando utilizando um óculos, simplesmente olhando para o motor do carro. Pois bem, isso é o que você descobrirá agora!

Diagnóstico 

Isso já é uma realidade. Para além dos scanners OBD, que fazem um “eletrocardiograma” do veículo, o diagnóstico em realidade aumentada permite que você mergulhe dentro do problema, examinando as condições de um componente ou sistema inteiro apenas olhando para ele.

Na interface do serviço ou aplicativo, você poderá ler sugestões de resolução e indicações do problema. Além disso, conta com a Inteligência Artificial identificando qual peça é o que e listando uma série de práticas para resolver a situação, seja com a remoção, fixação ou substituição do componente indicado.

Prevenção de avarias

Essa é uma habilidade complementar aos scanners que, embora eficientes, não conseguem entender imagens, pois não foram projetados para isso. A realidade aumentada sim! Com essa tecnologia, é possível apontar a câmera para o veículo e examinar as peças de perto.

O software utiliza a Inteligência Artificial e o aprendizado das máquinas para comparar o desgaste de uma peça com inúmeras outras em seu banco de referência. Com isso, consegue apontar a existência e aceleração do desgaste em uma área, sugerindo ao mecânico que determinada peça ou sistema merece atenção.

Análise Remota

Essa é uma das funcionalidades mais “mão na roda” para os profissionais do ramo. Quantas vezes você já se pegou em um caso que parecia sem solução, com um diagnóstico impossível e uma resolução desconhecida? Para essas situações, o mecânico do futuro poderá ficar mais tranquilo com a qualidade do seu trabalho.

Muitas montadoras têm investido pesado no ramo, criando soluções de diagnóstico remoto, em que o mecânico se comunica diretamente com o analista da fabricante, que estará visualizando o mesmo que ele. Quando o técnico da montadora identifica o problema, envia uma série de instruções ao profissional, com um passo a passo detalhado para que a situação seja resolvida.

As marcas que já apostam nesse conceito

Agora, vamos às aplicações práticas que têm conquistado o mercado. Antes de tudo, vale dizer que boa parte dessas abordagens ainda percorre uma fase conceitual, servindo apenas aos propósitos dos pesquisadores dessas marcas. Dê uma olhada!

Ford

Assistência e diagnósticos remotos ao mecânico: essa é a solução na qual a Ford tem apostado suas fichas. Nessa aplicação, o mecânico se comunica diretamente com um técnico da montadora, que visualizará o motor pelos “olhos” do profissional, reportando informações em tempo real.

Além disso, essa abordagem também aposta na integração com a central eletrônica do veículo que, conectado ao computador do mecânico, transmitirá todas essas informações ao técnico da marca. Com isso, as duas cabeças pensantes conseguem resolver um diagnóstico complicado em questão de minutos.

Hyundai

Já a marca sul-coreana tem uma abordagem mais publicitária, pois tem o proprietário como foco. Nesse caso, a montadora desenvolveu uma versão eletrônica do manual de seus modelos, disponível para o sistema operacional dos celulares, como Android e iOS.

Então, o dono do veículo Hyundai abre o app e aponta o celular para o seu veículo, tanto externa quanto internamente. Para tudo o que a câmera vê, são exibidas dados contextuais na tela. Se a câmera localiza o painel de instrumentos, por exemplo, o aplicativo mostra informações desse componente.

BMW

Já a abordagem da BMW é a mais hardcore de toda a lista, seguindo a vanguarda tecnológica da engenharia alemã. Basicamente, a solução consiste em óculos próprios que examinam todo o contexto mecânico de um veículo e projeta as orientações necessárias ao reparo. O nível de detalhe gráfico aponta até mesmo como, onde, quando e quantos parafusos retirar. Quer ver? Clique aqui!

A solução será exclusiva aos modelos da marca, mas faz tempo que não vê a luz do dia — foi apresentada em 2014, mas vem sendo revisada desde então. Conceitualmente, a montadora não deseja substituir o trabalho do profissional mecânico: a intenção é agilizar os reparos e facilitar os orçamentos.

Fabricantes de peças

Quem melhor do que as próprias fabricantes para entrar nesse nicho, não é mesmo? Recentemente, gigantes do segmento de pneus e componentes mecânicos embarcaram na novidade, lançando suas soluções para avaliar o desgaste de pneus, identificar danos e sugestões para peças e muito mais.

Finalmente, também vale lembrar as aplicações mais comerciais dessas tecnologias. Montadoras como Volkswagen e Fiat já disponibilizam concessionárias digitais nas grandes metrópoles, que combinam realidade virtual e aumentada para exibir os diferentes modelos de sua linha aos compradores, reduzindo custos com locação de ponto comercial e funcionários contratados.

Gostou deste conteúdo especial sobre a realidade aumentada? Então, divida essas informações com os seus colegas que são entusiastas da tecnologia. Para isso, basta compartilhar este artigo nas suas redes sociais!

About The Author

Reply