Treze dicas para reconhecer um carro usado batido ou vítima de enchente

Comprar um usado é sempre um drama e uma das maiores preocupações é saber se ele é sinistrado. Ou seja, ter a certeza de que o veículo não sofreu uma batida mais forte ou mesmo se passou por uma enchente.

Dependendo da intensidade da colisão, o carro pode até ser consertado. Mas, se afeta partes da estrutura do veículo, dificilmente manterá sua dirigibilidade, estabilidade e consumo.

Porém, é possível verificar se o carro tem um passado de sinistro se você ficar atento a dicas simples.

Diferenças de cor

O primeiro cuidado é ver o carro em um ambiente iluminado, de preferência aberto e com luz natural. Observe se a cor da carroceria segue o mesmo padrão de tonalidade ou se algumas peças parecem mais novas. Fique atento principalmente a partes como capô e para-lamas.

“Como geralmente só se pinta a parte trocada, aparece a diferença de brilho e tonalidade. Mas veja o carro como um todo, pois alguns pintores ‘escorrem’ um pouco da nova tinta para as peças ao lado para fazer uma espécie de efeito dégradé e não ficar tão perceptível a diferença”, alerta Manes Erlichman, sócio-diretor da Minuto Seguros.

Portas

Observe as portas olhando para o carro de perfil. Veja se estão alinhadas e se as frestas estão uniformes. Faça o mesmo posicionado atrás do veículo, na altura da lanterna traseira, e cheque a lateral do carro.

Veja se as janelas “acompanham” a linha de cintura do automóvel. Vale, ainda, abrir as portas algumas vezes e verificar se elas estão fechando de forma correta, sem a necessidade de força excessiva, com dificuldades de travar, sinais de empeno ou barulho exagerado.

Chassi

Dê uma verificada na numeração do chassi. Fique atento se há sinais de ferrugem, ou pior: se há a sigla “REM”, de “remarcado”, abaixo da sequência de números.

“Se a batida acertou a posição da numeração, é preciso remarcar e ir ao Detran, e no documento também vai constar essa informação. É indício de que a batida pegou na estrutura do veículo ou que o carro foi roubado e tentaram adulterar a numeração”, diz Manes.

Capô

Chegue mais perto do capô e procure por ondulações ou desníveis estranhos. Aqui vale ver se as emendas e espaçamentos com os para-lamas e a grade frontal estão uniformes. 

“Qualquer diferença de desgaste nas peças de acabamento são indícios de que o carro pode ser sinistrado”, explica Leandro Guidi, proprietário do Grupo LFA Vistoria Veicular.

Faróis e lanternas

As lentes têm um desgaste natural ao longo do tempo. Se algum farol ou lanterna aparentar maior brilho que os demais, pode ser sinal de que aquele carro foi batido.

Faça o teste com as luzes acesas: peça para alguém ligar os faróis e acionar os freios e a ré.

“São peças que vão desgastando e amarelando ao longo do tempo. Não significa, obrigatoriamente, que foi uma grande batida, mas dá indícios de alguma ocorrência”, diz Manes.

Porta-malas

Certifique-se de que a tampa esteja fechando normalmente, sem falhas no encaixe ou necessidade de muita força para fechá-la. E mais uma vez note se as frestas estão uniformes ou há um aumento do vão em alguma parte.

Cinto de segurança

O cinto tem uma etiqueta que traz a data de fabricação do carro. Se o ano for diferente do modelo anunciado, pode indicar que houve troca da peça por causa de algum acidente.

Fixação dos amortecedores

Compare se há diferenças nas porcas e pontos de fixação. Desconfie se um amortecedor estiver mais novo e com menos desgaste que o outro, se for de outra marca ou de tamanho diferente.

Atenção ao Dirigir

Em caso de suspeita de o automóvel ser sinistrado, observe principalmente se há barulhos excessivos vindos da parte de baixo do veículo quando se passa em irregularidades.

Observe ainda se a direção está alinhada e se o carro anda em linha reta em conformidade com a posição do volante. Se estiver puxando para um lado, pode ser falta de um alinhamento, mas também pode ser indício de que um acidente tenha afetado a dirigibilidade do veículo.

Seja seguido

Ao fazer o test-drive, peça para um amigo seguir você em outro carro e checar se o veículo está alinhado. Batidas muito fortes podem comprometer a balança do automóvel e fazer com que a carroceria fique torta. O que é perceptível a olho nu com o carro em movimento.

“Vale a dica, pois se o carro estiver danificado ao ponto de estar andando torto, ele não consegue mais alinhamento”, diz Guidi.

Assoalho

Levante os tapetes e veja o estado das borrachas de vedação das portas. Se estiverem enferrujadas, pode ser sinal de que o carro sofreu sinistro, só que de enchentes.

“Essa vistoria é mais difícil porque os serviços de higienização disfarçam bem. Mas, se tiver resíduo de barro debaixo dos tapetes ou entre o tapete e o assoalho, é bom tomar cuidado”, destaca Guidi. 

Preço baixo

Desconfie de valores muito abaixo das tabelas e dos preços médios praticados pelo mercado. É a estratégia preferida de quem tem um carro com histórico de problemas.

Vistoria cautelar

Há diversas empresas que prestam a chamada vistoria veicular. Elas fazem um levantamento de todo o histórico do carro que você deseja, até mesmo se o automóvel se envolveu em alguma ocorrência ou sinistro. A vistoria também contempla uma análise física do automóvel. Os serviços custam entre R$ 150 e R$ 400.

About The Author

Reply