Junta homocinética deslizante: entenda os segredos dessa peça

4 minutos para ler

Uma das peças que mais sofrem desgastes no uso dos veículos é a junta homocinética deslizante. Esse equipamento faz a transmissão entre o movimento do câmbio e as rodas.

A qualidade do asfalto que o veículo circula com frequência é fundamental para aumentar a vida útil da peça. Por isso, na hora de verificar os danos, é preciso ter atenção a todo o conjunto de suspensão do veículo. Já a origem da falha é determinante para chegar ao dano da junta ou outras peças do sistema.

Se você deseja vender mais peças automotivas, é importante conhecer sobre os tipos de juntas homocinéticas e as suas funcionalidades. Então, continue a leitura e aumente seus conhecimentos sobre o assunto!

Quais são os tipos de junta homocinética deslizante?

São dois os tipos de junta homocinética deslizante que podem ser utilizados nos veículos, dependendo do tipo de tração das rodas e do sistema utilizado. Confira:

●       junta deslizante tipo VL — quando são utilizados modelos diferenciados de juntas para atender às necessidades específicas do sistema de transmissão projetado ao veículo. Por exemplo, no carro com tração traseira, é utilizada nas extremidades do eixo homocinético.

●       junta deslizante tipo tripóide — diminuem o atrito entre os elementos de rolamento da peça, pois são posicionadas no encaixe da tripeça e apoiadas por roletes.

Quais são as funções?

As mudanças inovadoras da junta ao longo dos anos trouxeram estabilidade aos carros e economia, já que ela torna a distribuição de energia mais equilibrada entre os semieixos dianteiros e aumenta a aderência. Dessa forma, o veículo fica estável e perde menos potência do motor.

Qual é a importância dessa peça?

Na prática, a função principal da junta homocinética é transmitir a energia do motor às rodas, por isso a sua importância para a segurança do veículo. A peça trabalha com o intuito de gerar diferentes ângulos de movimemto da suspensão.

Como elas apresentam defeitos?

A inspeção preventiva é a melhor forma de aumentar a vida útil das juntas homocinéticas. A frequência da verificação na oficina deve ser definida de acordo com o tipo de terreno que o veículo mais trafega e as condições adversas que pode ser submetido.

Se a troca da peça for indicada, é necessário verificar também itens como junta fixa e e cubo de roda. O vendedor de autopeças, por sua vez, deve estar ciente dessas informações para melhor atender aos seus clientes.

Separamos aqui algumas possibilidades que danificam a junta homocinética:

●       vedação da coifa — as falhas na vedação da coifa levam a uma contaminação da junta por graxa e sujeira, gerando desgastes acentuados na peça;

●       Coxins quebrados – coxins quebrados provocam desalinhamento do conjunto de transmissão e consequente quebra das juntas;

●       lubrificação — para a correta lubrificação da peça, é preciso usar a quantidade ideal de graxa na junta e na coifa);

●       falhas no eixo — o tempo de uso é determinante acerca das falhas de posicionamento do eixo homocinético. A peça começa a entalhar e pode apresentar danos no eixo ou mal posicionamento da junta. Acidentes também fazem com que o equipamento saia do lugar.

A fim de oferecer o melhor atendimento ao cliente, é importante buscar as informações sobre o veículo, de modo a fazer a indicação correta do tipo de junta homocinética deslizante, e contar com a marca de autopeças certa para manutenção e reparo.

Agora que você entende o funcionamento da junta homocinética deslizante, acompanhe a Nakata no YouTube para mais informações sobre serviços e peças.

About The Author

Reply