Atendimento de cliente PCD na oficina: veja como se preparar!

5 minutos para ler

Apesar de a acessibilidade ser um direito de todos os cidadãos, na prática, a realidade é que a postura profissional não se estende a todas as oficinas, pois muitos profissionais não procuram maneiras para atender ao cliente PCD da forma mais adequada.

Por essa razão, a adequação do atendimento para aumento da acessibilidade é uma maneira de contribuir com a inclusão e a qualidade de vida para o grupo de motoristas PCD que precisam realizar a manutenção de seus veículos.

Se você tem interesse pelo tema e deseja descobrir quais são as melhores estratégias para que a sua oficina esteja adequada ao atendimento acessível a clientes PCD, continue a leitura deste post que vamos apresentar todos os detalhes. Confira!

Qual é a importância da adequação no atendimento para o cliente PCD?

Ao adequar o atendimento para clientes PCD, você garante a melhoria na qualidade de vida das pessoas com deficiências e eleva o atendimento do mecânico, uma vez que é fundamental analisar o perfil do consumidor para encantar o seu cliente.

Dessa maneira, a acessibilidade é um princípio que deve ser seguido em todos os estabelecimentos comerciais que desejam alcançar todos os tipos de clientes e contribuir para o desenvolvimento de um ambiente inclusivo que gere resultados sociais. Os exemplos de motoristas PCD mais comuns são:

  • deficientes auditivos;
  • deficientes físicos.

É válido ressaltar ainda que o ideal é consultar o cliente PCD sobre a melhor maneira de atendê-lo, pois assim é possível ser mais assertivo. É fundamental manter o motorista PCD sempre em segurança e confortável.

Quais são as maneiras mais certeiras de se comunicar com o público PCD?

Ao realizar o atendimento ao cliente, é normal que muitas pessoas não saibam como se comunicar com esse público de maneira efetiva. Para ajudar, vamos apresentar a seguir formas acertadas de comunicação com o cliente PCD.

Comunique-se normalmente

Ao conversar com o cliente PCD, seja deficiente auditivo ou físico, é importante que o trate normalmente, da mesma forma que com com os seus demais clientes, a não ser que peçam para você falar mais alto ou mais devagar.

Já ao se comunicar com o motorista PCD deficiente auditivo, é importante falar de maneira clara, pronunciando bem as palavras, mas sem exageros, e sempre de frente para a pessoa (e não de costas ou de lado) para que a sua boca esteja visível. Também é importante evitar segurar algo ou gesticular com a mão em frente à boca para que ele realize a leitura labial sem interferências.

Coloque-se à disposição do cliente

Também é importante se colocar à disposição do cliente para o que ele precisar. Ele precisa sentir confiança em você como profissional e que está em um ambiente inclusivo. Se oferecer ajuda ao cliente PCD, espere sua oferta ser aceita antes de tomar alguma atitude e pergunte a maneira mais adequada para fazê-lo. Além disso, não se sinta ofendido se o seu auxílio for recusado, pois existem determinadas atividades que podem ser desenvolvidas de forma mais fácil sem assistência.

Entenda as diferenças

É normal encontrar pessoas que mudam o seu comportamento quando estão diante de uma pessoa com deficiência, por falta de informação. Há também aqueles que adotam um tratamento exageradamente gentil e superprotetor. É essencial aceitar a diferença de maneira natural e tratar a pessoa com deficiência da mesma maneira que os demais clientes, ou seja, com atenção, respeito e bom senso.

Evite super ou subestimar as dificuldades e possibilidades de um PCD, pois essas pessoas podem e querem assumir a responsabilidade por suas escolhas. Dessa maneira, não é necessário realizar um atendimento especial ao motorista PCD, mas que adequado e de forma inclusiva, respeitando o cliente e suas vontades.

Como facilitar a locomoção do cliente PCD?

Agora que você já sabe como se comunicar com o público PCD, veja, a seguir, como facilitar a sua locomoção.

Quando guiar, opte por caminhos com menos obstáculos

Ao guiar um motorista PCD, especialmente os cadeirantes, o ideal é sempre optar pelos caminhos com menos obstáculos. Contudo, quando as barreiras arquitetônicas (como portas estreitas, escadas e buracos no chão) forem inevitáveis, ofereça ajuda ao seu cliente se achar que ele está com dificuldade.

Lembre-se de a aceitação para perguntar como auxiliar, uma vez que cada indivíduo tem as suas técnicas pessoais e, às vezes, uma tentativa de ajuda pode atrapalhar. No entanto, em outros casos, isso é essencial.

Posicione-se à frente do cliente cadeirante

Sempre que conversar com um motorista PCD, se posicione em sua frente, uma vez que conversar com qualquer pessoa virado de costas pode ser visto como uma atitude desrespeitosa. Inclusive, quando estiver empurrando a cadeira de rodas de um cliente e parar para conversar com alguém, não esqueça de virar a cadeira de frente para que ele também participe da conversa.

Além disso, não movimente a cadeira de rodas sem pedir para a pessoa e pergunte como proceder, afinal tanto a cadeira quanto bengalas e muletas são partes do espaço corporal da pessoa.

Como vimos, a adequação para atender ao cliente PCD é dever de todos os profissionais independentemente da área. Ao garantir a acessibilidade em sua oficina, diferentes pontos são agregados ao estabelecimento, como o aumento da satisfação do cliente e o posicionamento profissional.

O que achou das nossas dicas de atendimento ao motorista PCD na oficina? Deixe um comentário e nos conte a sua opinião!

About The Author

Reply